"Por uma cultura de Paz"

“Por uma cultura de Paz"

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Ricardo Wangen, por Julio Cesar Lima

Pacifistas 

Ricardo Wangen nasceu em Harvey, em 18/06/1924, sendo criado nas pradarias do estado da Dakota do Norte, Estados Unidos. Na escola, recebeu forte dose de patriotismo. Nas Forças Armadas aprendeu a matar. O treinamento fomentou-lhe o ódio e a necessidade de eliminar o inimigo. Ele viu pessoalmente a destruição causada pelas bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki. Onde existia vida, só havia morte. Restou-lhe o silêncio. Tal experiência provocou-lhe profunda reflexão e perturbou-lhe a fé: será que não existem outras maneiras de resolver os conflitos entre nações e entre pessoas? Decidiu, então, lutar para que houvesse justiça de outra maneira. Estudou Teologia, foi ordenado pastor luterano e casou-se com Dorothy Weiblen, com quem teve três filhos. Ensinou Teologia Prática na Faculdade da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e foi co-fundador de entidades de prevenção e de assistência a pessoas portadoras da AIDS/HIV. Com Dom Helder Câmara e outros fundaram o Secretariado Nacional de Justiça e Não-violência no Brasil. O pastor Wangen recebeu o prêmio ‘Dr. Paul A. Boe’ para Serviços Humanitários Cristãos. Além disso, também foi co-fundador da organização ‘Educadores para a Paz’; trouxe para o Brasil o ‘Projeto de Alternativas à Violência’ e instigou a fundação do ‘Serviço de Paz’. Aos oitenta e um anos de idade, faleceu em 15/03/2006. Ricardo era um homem de espírito ecumênico, livre de preconceitos e suas opções de vida deixavam marcas nas pessoas com quem convivia. Com seu forte testemunho de fé e perseverança, tocou a vida de centenas de pessoas, plantando sementes de lutadores e lutadoras para a paz e a justiça, na certeza de que esta ceara florescesse e desse cada vez mais fruto.

Por Julio Cesar Meazza Lima 
(Teólogo, Educador para paz e Paviano)
postado em Outubro de 2010

Um comentário:

COISAS E SENTIDOS disse...

Meus queridos amigos/irmãos do Serviço de Paz, é sempre maravilhoso estar perto de quem comunga das mesmas causas da gente, inclusive online. Virar blogueiro é uma experiência muito interessante. Quem dera fôssemos verdadeiramente blogueiros da paz. E acho que somos. Quanto ao texto do Ricardo Wangen, ele é nosso. A propósito, quando trabalho os Pacifistas com a meninada, em sala de aula, ele é um dos mais queridos. Felizes somos nós, mas principalmente vocês, por terem convivido com ele. Um super abraço a todos e a todas. Na paz, Julio Cesar De Lima

Pesquisar neste blog